DEMO

Portugal

DEMO

Portugal

Biografia

DEMO (Experimental Multidisciplinary Organic Device) is a group of artists focused on research and creation rooted at the intersection between the performing and visual arts and performance art, in a context of collective devising and staging. They seek to cultivate a critical consciousness by invigorating art through sharing, skills exchange and the fusion of various artistic disciplines. DEMO was founded in 2010 in Guimarães. Cheila Pereira, Cláudio Vidal, Gil MAC, Margarida Cabral and Paula Rita Lourenço are all co-artistic-directors. Their shared artistic and aesthetic stances have allowed them to develop through DEMO’s various research-creation projects a unified artistic identity in which visual plasticity stands out as a defining characteristic. A founding principle has always been welcoming outside collaborators into their creative process.

 

“HYDRA & ORPHEU” é um espectáculo que tem inspiração nos movimentos artísticos e literários entre o Simbolismo e o Futurismo e na influência do poeta Camilo Pessanha da geração de Orpheu, celebrando assim os 100 anos da publicação da revista homónima, bem como os 150 anos do nascimento de Camilo Pessanha. Procura-se um encontro com o passado, as primeiras vanguardas artísticas, para construir um outro futuro em tempos pós-modernistas e pós-vanguardistas. Parte do encontro criativo entre o colectivo DEMO e o Jazz ao Centro Clube de Coimbra, explorando a relação do corpo, do movimento e da poesia com a música ao vivo e a criação site specific. Este espectáculo de carácter contemporâneo e transdisciplinar, procura novos discursos estéticos e processuais fundindo as artes da performance, teatro, poesia e música.

“Branco & Vermelho” nasce como um evento autónomo e complementar ao show Hydra & Orpheu, em conjunto com os dois músicos que acompanham o espectáculo (um contrabaixista e um baterista). É em conjunto com o trabalho dos músicos que acontece esta poetry jam session, utilizando vários textos de Camilo Pessanha, Fernando Pessoa, Mário de Sá-Carneiro, e deambulando entre o spoken word e o movimento coreográfico.