Vou a caminho do meio do dia, uma exposição de pintura de Benjamin Kidder Hodges

Quando os algoritmos de tradução automática nas redes sociais não conseguem identificar correctamente o significado de um texto em chinês, é acrescentada a frase de substituição por defeito: "I'm going to go to the middle of the day". Nesta exposição, Hodges utiliza esta frase sem sentido como um mantra que exprime o desejo de escapar a situações, géneros e estereótipos. Inspirado na ficção gótica, o artista convida o espectador a considerar paisagens transformadas pela intervenção humana, questionando que novas ansiedades e preocupações podem emergir dos ambientes em mudança que nos rodeiam. Hodges retrata cenas e figuras assombradas por ameaças imaginárias e inseguranças ambientais. As suas personagens encontram-se em situações pouco claras; procuram dar sentido ao mundo que as rodeia e tentam escapar – ou apenas chegar ao "meio do dia".